Artigo

Magnata do rap Russell Simmons acusado de abuso sexual

Russell Simmons, nome do hip-hop norte-americano que impulsionou o género com a editora Def Jam Recordings, anunciou esta quinta-feira que renuncia às suas empresas após acusações de abuso sexual.

O empresário de 60 anos negou as acusações, mas explicou que acredita que as recentes revelações de casos de abuso e assédio sexual por parte de celebridades masculinas propiciou "um período de transição" nos seus negócios.

"As vozes dos que não têm voz, os que foram feridos ou degradados, merecem ser ouvidas", disse num comunicado.

"Quando os cenários do poder abrem caminho a uma nova geração, não desejo ser uma distração, por isso retiro-me dos negócios que criei", acrescentou.

Russell Simmons foi acusado de abuso sexual no Hollywood Reporter pela argumentista Jenny Lumet, filha do realizador Sidney Lumet. Os factos teriam ocorrido em 1991, quando Jenny Lumet tinha 24 anos.

Segundo a reportagem, Russell Simmons teria obrigado a guionista a voltar ao seu apartamento depois de o seu motorista se ter negado a deixá-la em sua casa, e teria tido relações sexuais com ela sem o seu consentimento.

No comunicado, Russell Simmons disse que tinha outra memória dessa noite, mas reconheceu que os "sentimentos de medo e intimidação" da jovem eram "reais".

"Embora jamais tenha sido violento, frequentemente não mostrei consideração e sensibilidade em muitas das minhas relações ao longo dos anos, e peço sinceras desculpas", acrescentou.

No início do mês, Simmons negou ter abusado sexualmente da modelo Claussen Khalighi em 1991, após a sua denúncia.

Artigo do parceiro

SAPO Mag / AFP

Comentários