Artigo

Lura está de volta e leva mais uma vez “Herança” à Europa a partir de março

Lura está de volta “vibrante, tremendamente dançante e muito cabo-verdiana” e leva mais uma vez o seu mais recente álbum “Herança” à Europa nos meses de março, abril, maio e junho.

Lura transformou a sua “Herança” em disco e levou-a ao Tivoli

créditos: SAPOVanessa Colaço

O anúncio foi feito no sítio oficial da artista na Internet, que dá conta dos concertos já confirmados.

Lura dá o pontapé de saída a 17 de março em Dock des Suds, Marselha, (França),  seguindo-se Noruega, a 22 de abril, no Cosmopolite, OsloOslo, e regressa à França para um espetáculo em Espace Pierre Cardin, Paris.

Também já tem um concerto confirmado para junho, no dia 11, também em Paris, no Philharmonie de Paris.

Lançado em 18 de setembro de 2015, “Herança” é composto por 14 músicas, nove das quais inéditas, em que Lura revisita as paletas musicais do arquipélago e os diferentes estilos cabo-verdianos.

Para tal, contou com a ajuda de alguns compositores das ilhas, tais como Jorge Tavares, Sema Lopi, Kaká Barbosa, Manuel Andrade, José Dias Fernandes e Élida Almeida, com a qual Lura faz o dueto em “Nhu Santiago”, numa nova versão.

A visibilidade vai para Mário Lúcio Sousa com quatro temas da sua autoria no disco, inclusive o tema que dá nome ao álbum e no qual Lura é acompanhada apenas pela percussão do brasileiro Naná Vasconcelos, vencedor de seis Grammy e eleito várias vezes o melhor percussionista do mundo pela revista norte-americana dedicada ao jazz Down Beat.

“Herança” traz também três composições da autoria da própria cantora, “Sabi di Más” e “Di Undi Kim Bem”, que partilha com Abraão Vicente, e ainda “Barco di Papel”.

O disco é lançado no mercado mais de seis anos depois de "Eclipse" (2009), no qual interpreta em dueto com o compositor camaronês Richard Bona, considerado um dos melhores baixistas do mundo.

O trabalho editado pela Lusáfrica, também contou com a participação do músico português Pedro Jóia ("Mantenha Cudado").

Lura, nascida Maria de Lurdes Pina Assunção, no ano de 1975, em Lisboa, começou cedo o seu percurso no meio artístico com participações em projetos teatrais e corais, mas sua carreira como cantora despontou em 1996, aos 21 anos, quando gravou seu primeiro álbum, cuja canção título “Nha Vida” foi um sucesso imediato.

Comentários