Artigo

KJF: Hélio Batalha, Silvano & Kala Jula e Fidjos de Codé di Dona abrem hoje nona edição

Os artistas Hélio Batalha, Silvano & Kala Jula e Fidjos de Codé di Dona dão hoje o pontapé de saída da IX edição do Kriol Jazz Festival, que terá como palco principal o bairro “Fundo Cobon”, na Praia.

O primeiro dia do evento, em homenagem ao violinista Humbertona, conta com atuação de três vozes masculinas nacionais, cada um com seu estilo próprio, que vai desde o hip-hop crioulo, mas o destaque vai para os Fidjos de Codé di Dona, com o novo estilo de funaná denominado “Cotxi Pó”.

O grupo Fidjos de Codé di Dona, composto por Adelino Ferreira Vaz e Emílio Letício Ferreira Vaz, filhos de uma das figuras incontornáveis do funaná, Gregório Vaz, mais conhecido por Codé di Dona, é um dos rostos do “Cotxi Pó”.

Os dois começaram na música muito cedo visto que o pai era tocador de gaita e acompanhavam-no em espetáculos onde tiveram a oportunidade de aprofundar mais esse talento e viver uma nova experiência atuando em vários palcos na Europa.

Após o falecimento do pai, os dois irmãos juntaram-se e formaram o Fidjos de Codé di Dona como forma de preservar e dar continuidade ao legado do pai. O grupo almeja para breve lançar o primeiro disco da carreira.

Silvano & Kala Jula, sendo que Silvano Sanches, cantor e compositor, veio marcar a diferença no panorama musical atual, através da fusão de ritmos tradicionais cabo-verdianos com outros ritmos africanos, particularmente do Mali. Num tempero mais contemporâneo trata de temas intervencionais, o amor e a saudade.

Neste projeto, Kala Jula é enriquecido com a voz forte e emocionante de Silvano Sanches, que inaugura uma viagem das ilhas de Cabo Verde ao Mali. Cordas e percussões mandinga se misturam com a língua crioulo e com os ritmos tradicionais cabo-verdianos como, tabanka, morna, koladera, kola san-djon e finason.

O jovem rapper da Cidade da Praia (Ponta D’Água) Hélio Batalha, que já conta com 10 anos de carreira e que lançou recentemente o seu primeiro trabalho discográfico intitulado “Karta d’Alforria”, também vai levar o hip-hop crioulo ao festival.

A sua carreira musical começou em 2007 num concurso radiofónico promovido pelo Ministério da Saúde em colaboração com a Praia FM, participou no concurso com a sua primeira composição, “Mas Saude”, ficando em primeiro lugar.

O rapper, que já conta com conta com três mix tapes editados (Golpe de stado I – 2010, Golpe stado II -2012, Selvas de Pedras -2014), já atuou em vários festivais nacionais.

O primeiro dia do Kriol Jazz Festival terá entrada grátis e está aprazado para as 21:00, no Fundo Cobon, atrás da Shell Terra Branca.

O evento terá continuidade nos dias 14 e 15 Abril, com entrada paga na Praça Luís de Camões, no Platô, onde atuarão outros artistas nacionais nomeadamente, Grace Évora e Elida Almeida.

O certame terá ainda a participação de artistas da França (Sylvain Luc-Trio Sud), Haiti, Costa de Marfim (Jaixi feat. Boaz), Brasil (Maria Gadú), Cuba (Roberto Fonseca), África do Sul (Dj Mo Laudi), Estados Unidos (Leyla McCalla), Gana (Pat Thomas), Canadá (Topium) e Angola (Dj Satélite).

Comentários