Artigo

Grace Évora abre o segundo dia do KJF e Maria Gadú encerra a programação

O segundo dia do KJF é pago à razão de 1500 escudos por pessoa.

A IX edição do Kriol Jazz Festival (KJF) é retomada, esta sexta-feira a partir das 20:30 na Praça Luís de Camões, na cidade da Praia (Plateau), com o artista cabo-verdiano Grace Évora a abrir o leque e a cantora brasileira Maria Gadú a encerrar a programação da noite.

Depois do arranque no dia 08 de abril com “Zona Kriol”, cujo palco escolhido este ano foi a zona Fundo Cobon que acolheu atuações dos artistas Hélio Batalha, Silvano e Kala Jula e Fidjus de Codé de Dona, o KJF teve uma pausa para dar lugar ao Atlantic Music Expo que decorreu de 10 a 13 de abril.

O segundo dia do KJF é pago à razão de 1500 escudos por pessoa, mas quem adquirir o ingresso por 2000 escudos terá direito à entrada livre num outro espetáculo a desenrolar a seguir no palco de Kebra Canela, intitulado “Kriol Jazz AM by Sigui Sabura”, que vai contar com atuações dos artistas Jaixa e Boaz de Costa do Marfim e performance do DJ, Mo Laudi de África do Sul e de Banzi e Hebraico (Cabo Verde).

Maria Gadú é uma das artistas na linha de frente da Música Popular Brasileira (MPB), cantora e compositora, apresenta o seu álbum “Guelã”, o terceiro álbum da sua carreira, lançado em 2015, tendo sido indicado para o Latin Grammy na categoria de “Melhor Álbum de MPB”.

Maria Gadu assinou um contrato com a gravadora brasileira Slap Records depois de ter sido “descoberta” por Caetano Veloso, com quem fez a sua primeira digressão no Brasil, dando o pontapé de saída no impulso que a transformaria num dos nomes mais reconhecidos na nova música brasileira.

Já a americana de ascendência haitiana, Leyla McCalla canta em francês, crioulo haitiano e inglês e toca vários instrumentos, como violoncelo, banjo tenor e violão.

Profundamente influenciada pela música tradicional crioula e cajun do Estado americano de Louisianna, pela música tradicional haitiana e pelos géneros americanos, jazz e folk, Leyla está a promover o seu álbum “A Day for the Hunter, A Day for the Prey” que foi lançado no primeiro semestre de 2016 pela JazzVillage/Harmonia Mundi.

O Trio de jazz que surgiu em 2000, composto por Sylvain Luc (violão), André Ceccarelli (bateria) e Jean-Marc Jafet (baixo). O trio ganhou em 2003 o prémio de Melhor Orquestra Jazz do Ano Jazz nos Victoires du Jazz. Tem três álbuns gravados.

Ainda o trio de jazz africano nascido na Costa do Marfim Jaixi feat. Boaz. Nascido a 17 de junho de 1980 na Costa do Marfim, o saxofonista Boaz Adou é desde cedo embalado pelas melodias do seu pai, guitarrista, que lhe ensina alguns acordes.

Jaixi é um trio de jazz africano nascido na Costa do Marfim. A sua música é uma mistura de melodias e ritmos africanos orquestrados por uma harmonia jazz, que resulta num estilo de fusão.

DJ Mo Laudi, vindo da África do Sul via Londres e, agora, Paris, Mo laudi é um DJ/MC/produtor pioneiro que tem estado na vanguarda do movimento afro-electro em Londres desde princípios da década de 2000. Ao longo dos anos, Mo Iaudi desenvolveu um estilo próprio, fundindo música electrónica de ponta e ritmos tradicionais africanos.

Grace Évora que é única voz a representar Cabo Verde hoje, é natural da ilha de São Vicente, e desde a sua infância demonstrou um grande interesse pela música, tanto com cantor quanto como baterista. O salto para a notoriedade aconteceu em 1989 no grupo Livity. Esta oportunidade levou-o a trabalhos com outros grupos como os Rabelados, Koladance, Cabo Verde Show e Splash!

Depois de 1993 ter cantado o tema “Bia”, no segundo álbum dos Livity, Grace apostou também numa carreira a solo. Tem alguns álbuns a solo, e um dos seus temas mais conhecidos é o “Lolita”. Depois de alguns singles recentes, em 2017 promete lançar um novo álbum.

Para dia 15, terceiro e último dia do evento, estão agendados atuações de Elida Almeida (Cabo Verde), e ainda artistas de países como Estados Unidos da América (Spyro Gyra), Cuba (Roberto Fonseca Quartet), Gana (Pat Thomas e Kwashibu Area Band), Canadá (Topium) e Angola (Dj Satélite).

Comentários