Artigo

Gota d’Arte apresenta CD “Kombersu di Amigus” para promover a inclusão social

O trabalho discográfico saiu em dezembro de 2016.

créditos: Inforpress

A Associação Gota d´Arte apresenta hoje, na cidade da Praia, um novo trabalho discográfico “Kombersu di Amigus” para promover a arte nos jovens e priorizar a inclusão social das crianças e adolescentes carenciados com deficiência.

Em conversa com a Inforpress, a presidente da “Gota d’Arte”, Elisabeth “Bety” Fernandes, explicou que o “Kombersu di Amigus” saiu em dezembro de 2016, e constitui o trabalho final realizado com crianças no Espaço Gota d´Arte durante um ou dois anos.

A Associação que, segundo Bety Fernandes, está a fazer um “trabalho árduo” junto da sociedade desde 2011, produziu o disco com a participação, essencialmente de crianças e adolescentes da escola.

“Durante esse tempo, trabalhamos com crianças sobre música, dança e teatro e, neste caso, o CD é um resultado final daquilo que temos realizado. A banda é composta por frequentadores do local que tocam guitarra, bateria, precursão entre outros instrumentos”, indicou.

A presidente da “Gota d’Arte avançou que o objetivo do encontro desta quinta-feira, no Centro Cultural Português da Praia, é apresentar a parceiros, pessoas e cooperadores, o projeto de Gota d’Arte, isto é, mostrar o que o espaço tem feito e pretende fazer na educação dos jovens e crianças.

“Este trabalho requer custos, uma vez que, trabalhamos com crianças desfavorecidas que não podem contribuir, porém, temos que incentivar parceiros e, para isso, é preciso dar a conhecer o que temos feito”, acrescentou.

A Associação Gota d’Arte, segundo Bety Fernandes, tem dado aos mais jovens, ferramentas mentais e emocionais que lhes possibilitam estar na vida, na música, na dança, na matemática ou na física, com valores internos e de respeito pela sociedade e pelo meio ambiente.

O trabalho musical “Kombersu di Amigus” e o projeto Gota d´Arte tem como mentores a bailarina e coreógrafa Bety Fernandes e o percussionista angolano Fernando Carlos Ndu.

Comentários