Artigo

Djila lança primeiro CD que considera “o diploma” de uma vida a cantar

Disco reúne composições de Constantino Cardoso, Teófilo Chantre, Tibau, Taninho Évorta e Manuel d’Novas,

créditos: Inforpress

O primeiro CD da carreira do cantor salense Djila teve hoje, no Mindelo, lançamento mundial, e o cantor, de 53 anos, considera o álbum de estreia o seu diploma, já que o vai “identificar” no mundo da música.

Radiante por se tratar, também, da concretização de “um sonho”, pois canta desde 1976 e só agora coloca no mercado o primeiro CD fruto, sustentou, de pessoas que nele acreditaram como Júlio Rosário, produtor, e Bau, responsável pelos arranjos e produção musical.

“Bau dá garantias de um bom trabalho e agora fico à espera da opinião do público que é quem decide”, lançou Djila à Inforpress. O CD, composto por mornas, coladeiras, morna galopes e mazurca, entre outros géneros, tem a chancela da editora Boa Música, e segundo Júlio do Rosário, proprietário da mesma, foi gravado no Mindelo, Lisboa e Paris e edição nos Estados Unidos.

Reúne composições de Constantino Cardoso, Teófilo Chantre, Tibau, Taninho Évorta e Manuel d’Novas, para além de uma composição do próprio Djila denominada “Tubarão solitário”, uma homenagem a Ildo Lobo, irmão de Djila.

Para além de Bau, participaram no trabalho, entre outros, músicos como Erickson, Tei Santos e Calu Matos e uma orquestra da Holanda. Júlio do Rosário disse à Inforpress que o trabalho lhe dá satisfação e que agora fica à espera e que os cabo-verdianos o apreciem, também pois, sintetizou, trata-se de uma obra que identifica Djila.

Após o lançamento de hoje, no Mindelo, segue-se agora a promoção e lançamento do álbum “nos próximos dias” nas ilhas de Santiago, Boa Vista, Sal e Santo Antão, já que os espetáculos estão calendarizados para o mês de janeiro, segundo o produtor. O lançamento do disco no estrangeiro deve ocorrer no mês de março.

Comentários