Artigo

Curadora da música quer mais cabo-verdianas envolvidas na organização de eventos

Para a curadora francesa há uma carência de mulheres no setor da música no país.

Curadora da música Christine Semba, Gugas Veiga e Francis Gay da WDR Cosmo

A curadora da música Christine Semba, que vem ajudando na organização do Atlantic Music Expo (AME-CV) desde de a sua primeira edição, pediu ontem o envolvimento de mais mulheres cabo-verdianas na organização de eventos musicais.

Christine Semba, que representa a Piranha Arts- WOMEX, lançou este repto ontem, dia 10, na Cidade da Praia, à margem do workshop de preparação para os profissionais cabo-verdianos, ou seja, delegados e artistas nacionais que vão participar nos showcaes do AME-CV, que arranca na noite de hoje e se prolonga até 13 de abril.

Esta consultora, curadora e networker, que reconhece a qualidade das mulheres cabo-verdianas, considerando-as de “boas cantoras”, quer as mesmas também envolvidas na organização de eventos musicais e a tocar instrumentos.

A este propósito, a curadora francesa invocou as artistas femininas nacionais a participarem na mesa redonda sob tema “Mulheres no setor musical profissional” que, no seu entender, há uma carência no país.

Sobre o encontro desta tarde, explicou que o mesmo tem como objetivo explicar aos participantes desta V edição do AME-CV como é que as coisas funcionam, para que possam estar preparados e assim tirarem o maior proveito do certame, que vai para além dos showcases.

Christine Semba alertou os artistas nacionais que vão participar no AME-CV a não preocuparem apenas com as suas apresentações no palco e boa música, salientando que “boa música” há em toda parte do mundo.

Na sua opinião, o que os artistas devem fazer no AME-CV é “construir uma relação de confiança” durante o evento e entender o mercado internacional.

As conferencias e workshops no seu entender são também importantes, e neste sentido aconselhou os jovens artistas nacionais a participarem para que possam entrar neste mercado internacional.

Este primeiro encontro contou também com a presença do diretor musical francês Francis Gay da WDR Cosmo e do produtor musical cabo-verdiano Augusto Veiga da AV Produções.

Comentários