Artigo

Bulimundo põe Marcelo Rebelo de Sousa a dançar funaná com Lura

O Presidente da República de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa (C), brinda com o seu homologo cabo-verdiano Jorge Carlos Fonseca (E) e com a esposa Lígia Fonseca (D), durante um jantar na Cidade da Praia, Cabo Verde, 10 de abril de 2017. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

créditos: Lusa

Não foi no mercado, mas estava escrito e Marcelo Rebelo de Sousa acabou o segundo dia de visita oficial a Cabo Verde a dançar funaná ao som dos Bulimundo na abertura da Atlântic Music Expo (AME).

A "culpa" foi do ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, que incentivou o Presidente português a dançar com a sua mulher, a cantora Lura, quando ecoavam no palco os acordes dos Bulimundo, um dos grupos mais emblemáticos de Cabo Verde.

Inicialmente hesitante, Marcelo Rebelo de Sousa acabou por ceder, levantou-se e deu "um pezinho de dança" que durou menos de um minuto, mas foi entusiasticamente saudado pelo público.

Mais sintonizados no funaná, o casal presidencial cabo-verdiano, Jorge Carlos e Lígia Fonseca, acompanhou Marcelo na dança, tendo os dois presidentes abandonado o local logo de seguida.

Marcelo Rebelo de Sousa, que chegou ao concerto de abertura da AME quando a atuação dos portugueses Dead Combo ia a meio, tinha confessado aos jornalistas o seu entusiasmo por, pela primeira vez, ir assistir a uma atuação ao vivo do grupo cabo-verdiano.

"Estou com muita expectativa em relação aos Bulimundo. Ouvi só em CD, nunca ouvi ao vivo e ao vivo dizem-me que é espetacular", disse.

O Presidente português afirmou ser apreciador da música cabo-verdiana, destacando os nomes de Tito Paris, que condecorou no âmbito desta visita a Cabo Verde, e de Cesária Évora.

"Sou tão velho, tão velho que ouvi a Cesária cantar em Portugal e em França e para mim ficou inesquecível", disse, sublinhando também a capacidade de Cabo Verde se reinventar musicalmente a cada geração.

A visita de Marcelo Rebelo de Sousa a Cabo Verde prossegue hoje em São Vicente, a segunda maior e mais populosa ilha de Cabo Verde.

Comentários