Artigo

Segunda edição da URDI arranca no Mindelo com mais de 100 criadores nacionais e internacionais

Evento conta com a participação de mais de 100 criadores nacionais e internacionais provenientes de Espanha, Portugal e Egipto.

Feira do Artesanto e Design de Cabo Verde (URDI)

créditos: Inforpress

A URDI, organizada pelo Ministério da Cultura e das Industrias Criativas (MCIC), através do Centro de Artesanato e Design (CNAD), pretende ser, segundo informações da organização, para além de exposição, um espaço de conversas abertas e debates à volta do artesanato e design nas suas diversas facetas de desenvolvimento.

A abertura oficial do evento, que está a cargo do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, acontece hoje a partir das 18:00, na Praça Nova, e conta com a presença do ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.

As atividades, entretanto, iniciaram-se na manhã de hoje com o arranque do ciclo de conversas à volta do tema “Matéria prima Local, um potencial a valorizar um saber a reinventar”, um painel focado na partilha de perspetivas que possam contribuir para a discussão em torno dos desafios da utilização de matérias-primas locais para produtos de artesanato e design.

Ainda na manhã de hoje as discussão continuaram à volta de um segundo painel intitulado “Design no Artesanato – Olhar Global x Olhar Nacional/Local”, um debate que pretende analisar as várias tendências ao nível global, mas também as específicas do contexto cabo-verdiano, de modo a incentivar a criação ao nível político, cultural, tecnológico e educativo, estratégias que tenham em atenção os riscos das tendências globalizantes, e que promovam as tendências que agregam as dimensões local e global.

O ciclo de conversas da Feira de Artesanato e Design de Cabo Verde prolonga-se até o dia 02 de dezembro, de acordo com a programação, com outros painéis nomeadamente “Cabo Verde no Design – contexto Atual e Utopias”, Referências internacionais (Egito, Lanzarote, IADE) – boas práticas e desenvolvimento sustentável” (Egito, Lanzarote, IADE), Artesanato Created in Cabo Verde – uma visão integrada, que políticas para o setor?”.

Com este ciclo de conversas à volta destes seis painéis, o MCIC pretende que a URDI’17 abra janelas aos gentes culturais, designers, artesãs e artesãos, investigadores, estudantes e outros elementos da sociedade civil interessada e que estas fiquem em permanente reflexão e produção no artesanato e design, cabo-verdiano e internacional.

Ainda aliado à abertura oficial da URDI, o Governo irá condecorar os criadores cabo-verdianos com as medalhas de 1º e 2º grau, à Luisa Queirós a título póstumo, Manuel Figueira, Bela Duarte e Joana Pinto, com medalhas de 1º grau e Voginha com medalha de 2º grau.

A URDI foi criada em 2016 na sequência das cinco edições do Fonartes e é uma iniciativa cultural anual, dedicada à exploração e mostra das múltiplas expressões do artesanato e design. Visa preconizar novos horizontes para o fomento do Artesanato e do Design “Created in Cabo Verde.

Representa um imperativo para as políticas públicas e afins que, per si, se redesenham nas dinâmicas sócio-cultural, mercadológica global e criativa contemporânea, enquanto fonte de rendimento e de criação de emprego, além da valorização da dimensão simbólica, patrimonial e turística do artesanato cabo-verdiano, bem como impulsionar a reflexão no campo do artesanato e do design.

Artigo do parceiro

SAPO Muzika

Comentários