Artigo

Projeto teatral "Blimundo nas escolas" quer preservar a tradição oral

O projeto é uma iniciativa dos integrantes do ex-GTCCM (Grupo de Teatro do Centro Cultural do Mindelo) e de outros grupos de teatro de São Vicente.

créditos: Reprodução Facebook Oficial

Os integrantes do ex- Grupo de Teatro do Centro Cultural do Mindelo e de outros grupos de teatro de São Vicente criaram o projeto teatral "Blimundo nas escolas" e desde fevereiro estão a percorrer as escolas de Mindelo para apresentar a peça. A iniciativa vai até maio.

O objetivo, diz a coordenadora, Patrícia Silva, é levar o espetáculo teatral a um maior número de crianças possível de modo a dinamizar a cultura nacional, despertar o gosto pelo tradicional e a valorizar a tradição oral.

Além disso, os promotores pretendem promover uma dramaturgia voltada para a cultura nacional e desenvolver um espírito crítico dos participantes. Trata-se de um espetáculo interativo e segundo Patrícia Silva, o impacto tem sido “muito forte”.

“Temos tido um feedback muito bom, as crianças interagem e temos recebido dos pais um retorno positivo. Dizem que os filhos, em casa, reproduzem o que foi dito/feito na peça. Isso prova que estamos a conseguir um dos nossos principais objetivos que é despertar o gosto pelo tradicional e valorizar a tradição oral”.

A peça "Blimundo nas escolas" tem uma duração de cerca de 50 minutos e o bilhete custa 50$00. Mas, diz a coordenadora do projeto, “nenhuma criança fica sem ver a peça”. “Cobramos o bilhete porque também temos custos para montar a peça mas não deixamos nenhuma criança de fora se não tiver os 50$00 e nas escolas onde se regista uma carência maior, cobramos 30$00”, explica Patrícia.

Esta é a primeira edição do projeto teatral que pretende, nas próximas edições, descentralizar levando a peça para o interior da ilha de São Vicente e para as outras ilhas do país. Mas para isso, assevera Patrícia Silva, é preciso estabelecer parcerias e encontrar apoios.

O projeto conta com a parceria da Delegação de Ministério da Educação de São Vicente, Escolas do Ensino Básico, dos centros sociais, de algumas instituições e entidades individuais da ilha.

Este domingo, 19, a peça vai ser apresentada no Clube Ponta d’ Pom e vai abranger as escolas das comunidades de Cruz João Évora, Espia e Fonte Inês.

No dia 09 de abril é a vez da escola Humberto Duarte, em Fonte Francês, seguindo-se as do Nº9 de Monte Sossego, no dia 30 de abril, a da Bela Vista, no dia 07 de maio, Ribeira Bote, no dia 14 de maio e para terminar a Escola Salesiana de Artes e Ofícios, no dia 28 de maio.

Comentários