Artigo

Nuías Silva quer elevação das festas da Bandeira a Património Cultural Imaterial Nacional

Proposta foi feita hoje, dia 27, no Parlamento.

créditos: Reprodução Facebook

O deputado do PAICV pela ilha do Fogo, Nuías Silva, propôs, hoje, no Parlamento, a elevação das festas da Bandeira a Património Cultural Imaterial Nacional, no ano em que se comemora o centenário do desenterro da Bandeira.

“Gostaria de propor a elevação das festas tradicionais e de romaria da ilha do Fogo a Património Cultural Imaterial Nacional”, propôs Nuías Silva, apresentando como justificação “o quadro que os festejos populares das Bandeiras do Fogo ganharam no contexto nacional e não só”.

Aquele parlamentar considera que as festas da Bandeira de São Filipe, da Bandeirona, de São João Baptista, entre outros, são um produto cultural e turístico que, devidamente contextualizados, trabalhados e valorizados, “poderão transformar-se em fontes de atração e alavanca do desenvolvimento da ilha do Fogo”.

A proposta de Nuías Silva recebeu o apoio de vários parlamentares que, usando o figurino dos “esclarecimentos”, consideraram justa a proposta do deputado foguense. Também o ministro dos Assuntos Parlamentares, da Presidência do Conselho de Ministros e do Desporto, Fernando Elísio Freire, considerou bem-vinda a proposta de Nuías Silva, mas esclareceu que “o IPC está a fazer um trabalho minucioso de catalogar e classificar todas as festas, por ilha e por concelho, como forma de promover a sua classificação”.

“A proposta é muito bem-vinda, mas o Governo já está a fazer um trabalho de fundo” nesse sentido, concluiu Fernando Elísio Freire.

Comentários