Artigo

Marilene Pereira conta história da Cidade Velha de “forma rigorosa e divertida” em livro

A escritora brasileira lança hoje, na Praia, um livro de literatura juvenil intitulado “O Mistério da Cidade Velha”.

Escritora e jornalista brasileira

créditos: Foto@Inforpress

A escritora Marilene Pereira lança hoje, na cidade da Praia, um livro de literatura juvenil intitulado “O Mistério da Cidade Velha”, que conta a história desta cidade de uma “forma rigorosa e divertida”.

À Inforpress, a também jornalista, educadora e atual diretora do Centro Cultural Brasil em Cabo Verde (CCB-CV), disse que o livro de aventuras é baseado em factos reais, em que um grupo de meninos vai à procura de um tesouro e, no final, descobre que o tesouro “não era o que imaginava”.

O livro tem quatro personagens principais que vão viver essa aventura, que, no fundo, é a descoberta da história de Cidade Velha, que vem no estilo da “Uma aventura nas ilhas de Cabo Verde”, da portuguesa Ana Maria Magalhães, explicou a autora.

O livro da literatura juvenil, dada à estampa pela Rosa de Porcelana Editora, segundo Marilene Pereira, é também um livro que tem “ficção”, mas “dentro da ficção coloca factos reais”.

Tendo em conta que muitas pessoas dizem que os jovens não gostam da história, sublinhou que foi uma forma que encontrou para fazer esta camada “gostar da história”.

Para Marilene Pereira, os jovens “não gostam” da história pelo facto dela ser “mal ensinada, como se fosse um cadáver só com datas, factos e personagens muito fechados”.

Marilene Pereira é brasileira e está em Cabo Verde desde 1988, tendo desempenhado funções como educadora, escritora e jornalista.

A escritora, que se lançou na literatura infantil desde 2001, conta com nove livros deste género: “Bentinho Traquinas”, “Um, dois, três…”, “O que os olhos não veem”, “Dona Sani”, “Aventuras na Cidade Velha”, entre outros e agora “O Mistério da Cidade Velha”, o primeiro da literatura juvenil.

A apresentação da obra está aprazada para as 18:30, na sede do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (Casa cor de Rosa), no Platô, Cidade da Praia.

O historiador António Correia e Silva, que fez a correção técnica na parte histórica do livro e a secretária-executiva da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em Cabo Verde, Glória Ribeiro são os responsáveis pela apresentação da obra.

O lançamento do livro enquadra-se no âmbito da comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, celebrado terça-feira, 18 de abril.

Comentários