Artigo

Livraria Pedro Cardoso tenciona lançar um livro a cada mês e apostar na diáspora

João Spencer avançou que para este ano a aposta da Livraria Pedro Cardoso vai continuar a ser a edição de livros.

A Livraria Pedro Cardoso (LPC) tenciona para este ano lançar um livro a cada mês e ter a diáspora como a “grande aposta”, para além de continuar a editar livros e internacionalizar as suas publicações e os escritores.

“O balanço do ano de 2016 é extremamente positivo. Conseguimos alcançar todas as metas estabelecidas, sendo uma delas, a edição de 15 livros sobre a literatura e investigação académica de vários autores cabo-verdianos”, indicou, em entrevista à Inforpress, o director da LPC, João Spencer.

De entre os livros dados à estampa pela LPC, destacou “O Partido Único em Cabo Verde”, de Humberto Cardoso, “Cabo Verde Janelas de África: 1975 -2015”, de Corsino Tolentino, “Desenvolvimento Local: As dinâmicas dos atores sociais no contexto cabo-verdiano” de António de Jesus, “A Ponte de Kayetona” de Eurídice Monteiro, “Cultura Audiovisual em Cabo Verde” de Mário Vaz Almeida.

E ainda “Percursos Identitários e Estéticos na Literatura Cabo-verdiana” de Fátima Fernandes, “O Escravo” de José Evaristo D`Almeida, “RI E BOM PA Saudi” de Olavo Varela Cabral e o “Manduco” de Pedro Cardoso.

Para além de editar livros, a livraria foi palco de várias atividades organizadas pela casa e por outras entidades da sociedade civil, que vão desde conferências, debates, lançamentos, exposições, saraus culturais e assembleias-gerais de associações, entre outras.

João Spencer avançou que para este ano a aposta da Livraria Pedro Cardoso vai continuar a ser a edição de livros, promoção de debates sobre temas de interesse nacional e a internacionalização das nossas publicações e dos escritores.

As perspectivas para o corrente ano, segundo a mesma fonte, “são óptimas”, indicando que a livraria iniciou o ano um “grande lançamento”, o livro “Contos e Bosquejos’ de Guilherme da Cunha Dantas, organizado por Manuel Brito-Semedo, uma “obra clássica” da literatura cabo-verdiana do século XIX.

Segundo o director da LPC, para este mês já tem agendado o lançamento de mais um outro clássico da poesia cabo-verdiana poesia que é, provavelmente, “um dos maiores poetas das ilhas”, a reedição da primeira edição fac-similada do caderno de poemas “Arquipélago” de Jorge Barbosa.

“Para este ano, temos um plano de actividades ambicioso. Queremos continuar a inovar e partilhar conhecimentos, produzidos por escritores nacionais e estrangeiros sobre Cabo Verde”, enfatizou.

Livraria Pedro Cardoso foi criada a 25 de julho de 2014, pela sociedade comercial EFE em homenagem ao escritor cabo-verdiano com o mesmo nome, Pedro Cardoso.

A EFE foi constituída em 2005 e tem como objeto principal, de acordo com a legislação aplicável, instituir, manter e gerir estabelecimentos de ensino superior, destinados a realizar e/ou a promover a realização de ações de ensino, formação, educação, investigação e divulgação da ciência e da cultura, designadamente que confiram os graus académicos e diplomas de ensino superior previstos na lei, nomeadamente de estudos superiores especializados, licenciatura, mestrados e doutoramento.

A LPC apresenta-se como um novo conceito de livraria, posicionando-se como um espaço multicultural, onde se pode encontrar livros de várias áreas de conhecimento, artigos de papelaria, CD, DVD e jogos de consolas, bem como desfrutar de eventos culturais como espectáculos musicais de carácter intimistas e exposições de pintura, entre outras.

Agregado aos serviços de base, a livraria dispõe de um cyber-café, e na livraria pode-se encontrar livros de diversas áreas, entre elas infantis, romances e poesia, a “preços competitivos” com o mercado internacional.

Comentários