Artigo

Jacinto Santos apresenta em Marrocos o seu livro “Economia Social e Solidária em Cabo Verde”

A apresentação está prevista para decorrer de 22 a 24 de maio.

créditos: Foto@Inforpress

O livro “Economia Social e Solidária em Cabo Verde”, recentemente lançado na cidade da Praia, vai ser apresentado no mês de maio, em Marrakesh, Marrocos, revelou à Inforpress o autor da obra, Jacinto Santos.

Segundo Jacinto Santos, o convite partiu do Colectivo Universitário Francês e a Rede do Mediterrâneo de Economia Social e Solidária. A apresentação está prevista para decorrer de 22 a 24 de maio.

A obra “Economia Social e Solidária em Cabo Verde” é uma homenagem que o autor quis render aos pioneiros do cooperativismo no arquipélago.

Para o cineasta e escritor Leão Lopes, que apresentou o livro em parceria com a jornalista Arminda Barros, a obra é um “trabalho de investigação inédito em Cabo Verde”.

O autor, por sua vez, considera que o livro está em “sintonia perfeita” com aquilo que é consenso global de como a economia tem que ser “reinventada” para ser colocada ao serviço social.

Jacinto Santos não esconde a sua “satisfação” pelo facto de ter dado à estampa um livro, cujo conteúdo está ligado à trajetória da vida social e  profissional  dele, desde em 1975, como balconista de uma das lojas da antiga Central  das Cooperativas de Cabo Verde, passando por diversas funções como de animador, responsável pelo Departamento de Educação e Promoção Cooperativa e coordenador dos Centros  Regionais de Promoção  e Desenvolvimento Cooperativo até assumir o cargo  de presidente do Instituto Nacional das Cooperativas de Cabo Verde (INC).

Jacinto Abreu dos Santos é titular do Diploma de Altos Estudos em Práticas Sociais (DAEPS), com menção Diploma de Estudos Aprofundados (DEA), pela Universidade de Lyon 2. É técnico em Desenvolvimento Cooperativo, com especialização em Organização e Gestão das Cooperativas Agrícolas, pelo Instituto Pan-africano de Formação Cooperativa, hoje Universidade Africana para o Desenvolvimento Cooperativo (UADC).

Em termos políticos, participou activamente nas campanhas de luta pela independência de Cabo Verde, tendo militado nas fileiras do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), de 1975 a 1976. A partir de 1989, participa no processo político que culminou com a criação do Movimento para a Democracia (MpD), tendo sido eleito deputado nas primeiras eleições legislativas plurais a 13 de janeiro de 1991. A 15 de dezembro de 1991 tornou-se no primeiro presidente da Câmara Municipal da Praia eleito.

Comentários