Artigo

Escritor Pedro Santos Silva vence primeira edição do prémio Literário Infanto-Juvenil Orlanda Amarílis

Candidataram-se 20 obras, numa iniciativa da Academia Cabo-verdiana de Letras em parceria com Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

créditos: Inforpress

O escritor Pedro Santos Silva é o vencedor da primeira edição do Prémio Literário Infanto-Juvenil Orlanda Amarílis 2016, com a obra inédita “A História do Peixe Arporão”, anunciou ontem, 26, o júri do concurso na Cidade da Praia.

Em declarações à imprensa, o vencedor, que é natural de Santo Antão e vai receber como prémio diploma e o montante 200 mil escudos, mostrou-se satisfeito com o que designou de “reconhecimento” do que tem feito até agora, após participar em outros concursos.

Diz ter na gaveta outras obras que vão da poesia a contos e romances.

Sobre a obra premiada, disse tratar-se da história de um peixe que nasceu na zona da Ponta do Sol, Santo Antão, e que, depois do crescimento, a mãe achou que devia mostrar-lhe os sítios do mar da ilha, mas por causa do ataque de um tubarão perderam-se e nunca mais se encontraram.

“Vão se encontrar, no fim, em Aguada de Janela, do Paul”, contou.

Por seu turno, a presidente da Academia Cabo-verdiana de Letras (ACL), Vera Duarte, lembrou que o prémio era para ser entregue em Dezembro de 2016, tendo em conta que é anual, mas que tal não aconteceu “por questões outras”, sintetizou.

Para além do anúncio oficial do vencedor e entrega do prémio o ato serviu ainda para o anúncio da 2ª edição do Prémio Orlanda Amarílis e do Livro do Ano Mário Fonseca, cujo concurso vai estar aberto até Junho de 2017.

Em relação ao Livro do Ano, avançou que o mesmo não foi atribuído em 2016, justificando que o júri do concurso entendeu que os livros a concurso “não preenchiam todos os requisitos” exigidos pelo regulamento.

Para o ministro da Cultura, Abraão Vicente, o seu ministério quer “formar os leitores do futuro”, por isso começou por um prémio infanto-juvenil, exatamente para incentivar os que não são conhecidos, citando o vencedor.

Segundo o governante, o ministério vai “continuar a dar passos neste sentido” e anunciou que vai ser lançado um prémio de ilustração que servirá de complemento à literatura infanto-juvenil.

Assegurou que a ACL não vai ser o parceiro neste prémio de ilustrações e que o ministério vai procurar outros parceiros a nível internacional.

Tanto a ACL como o Ministério da Cultura garantiram que a obra vencedora vai ser publicada, ou com a chancela da Academia Cabo-verdiana de Letras ou da Biblioteca Nacional, esta última que vai retomar a edição de livros, mas com ilustrações.

Para a primeira edição do Prémio Literário Infanto-Juvenil Orlanda Amarílis 2016, candidataram-se 20 obras, numa iniciativa da Academia Cabo-verdiana de Letras em parceria com Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através da Biblioteca Nacional.

Comentários