Artigo

C4 Pedro sobre os dez anos: “Carreira não é só receber, também é dar"

O cantor, compositor e produtor C4 Pedro comemorou dez anos de carreira esta quinta-feira (28), num concerto super animado, na Casa 70, num show que teve como objectivo angariar fundos para o combate contra o HIV/SIDA.

O evento começou com o acenar de lenços brancos pelo público simbolizando a paz, a pedido de C4. Enquanto isso, o cantor fazia a abertura do concerto ao som de ‘Spetxa One’.  A sequência de sucessos teve direito a `bis`, acedendo aos pedidos do público, a quem o artista não parou de agradecer durante todo o concerto pela a presença. “Carreira não é só receber, também é dar”, foram essas as primeiras palavras do ‘aniversariante’.

C4, que já foi embaixador da Boa-Vontade da ONU SIDA em Angola, referiu, em declarações ao SAPO, que se sentiu na obrigação de celebrar os dez anos de carreira na sua terra natal para matar saudades e abraçar uma causa nobre ajudando no combate ao HIV/SIDA. Explicou que tinha uma dívida moral com a ONU SIDA porque durante o  período como embaixador (2011-2013) não ficou satisfeito com o apoio que deu à causa. “Devia ter feito muito mais, mas não consegui porque não dependia só de mim. Hoje, sou um músico independente e posso decidir o que fazer e quando fazer”, frisou.

Nesta noite de celebração, King Ckwa mediu a pulsação do público, com sucessos como ‘Bo Tem Mel’, ‘Robocop’, ‘Saudade’, ‘Avó’, ‘Mulher Bonita’, ‘Céu’, ‘Quem Será’, ‘Vou ter Saudade’, ‘African Beauty’, entre outros temas de que fizeram o seu percurso musical.

“É uma alegria estar de volta a Luanda, realizar um concerto desta dimensão na Casa 70 e poder ver que, apesar das dificuldades (ao falar sobre a crise), as pessoas estiveram presentes para assim abraçarem esta grande causa da ONU SIDA. Inicialmente, foi difícil mas depois comecei a ter vários apoios como o BPC, Cosal, Hotel da Samba e os meus fãs. Eles merecem todo o meu esforço e desempenho.”, afirmou C4 Pedro.

Questionado sobre as músicas apresentadas no concerto, revelou que o repertório escolhido é muito específico para o público angolano, garantindo que “se eu não cantasse as músicas que escolhi, os angolanos me matariam”.

No final da noite ficou o sentimento de que C4 Pedro levou à Casa70 um dos melhores e mais emocionantes momentos da música nacional, que ficará na memória de todos os que participaram neste concerto de comemoração dos seus dez anos de carreira.

Comentários