Artigo

Assomada acolhe a quarta Residência Artística denominada “48 horas No Stop”

O evento é promovido pela Casa das Artes de Assomada.

créditos: Inforpress

O Centro Cultural Norberto Tavares, na cidade de Assomada, em Santa Catarina, acolhe de 20 a 22, a quarta Residência Artística denominada “48 horas No Stop”, promovida pela Casa das Artes de Assomada.

À Inforpress, o artesão Beto Diogo explicou que a ideia é reunir artesãos de Santiago, promotores culturais na área de artesanato e agências de viagens para, durante 48 horas, debaterem o artesanato em Cabo Verde, e ver formas de dar mais dinâmica e inovações a essa área.

Segundo este artesão, os desafios desta classe são muitos, mas o mais emergente é a certificação e escoamento dos produtos.

“Um artesão profissional, vive do artesanato e, se não tiver as condições para o escoamento dos produtos não conseguirá viver e sequer sobreviver do artesanato. O anterior ministro da cultura deu passo para a certificação do artesanato, existia um selo de artesão, mas este selo caiu e acredito que agora vamos ter outras políticas para proteger o artesanato cabo-verdiano”, disse.

Durante o evento, o professor e artesão Gustavo vai ministrar uma palestra sobre “Desafios e conquistas do artesanato cabo-verdiano”, fazendo uma trajetória do artesanato antes e depois da independência até ao momento.

Ainda o inspetor-geral da Inspeção Geral das Atividade Económica (IGAE), Elisângelo Monteiro, vai abordar a questão da “Proteção do artesanato nacional”, ou seja, quais as medidas para proteger o artesanato cabo-verdiano.

A abertura do evento acontece quinta-feira e vai ser presidida pelo ministro de Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, e pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, José Alves.

Comentários