Artigo

AME tem sua própria moeda complementar desde 2013

A moeda oficial do AME “Kretxeu” é uma moeda de troca do evento.

AME

O Atlantic Music Expo (AME)  conta com a sua moeda complementar, denominada de “Kretcheu”, desde 2013, em que homenageia figuras como António Travadinha, Nha Nácia Gomes e Cesária Évora, estampadas em notas de 100, 500 e 1000 escudos, respetivamente.

De acordo com uma nota da organização, a moeda oficial do AME “Kretxeu”, que é uma moeda de troca do evento, vai servir para realização de todos os pagamentos feitos aos artistas e participantes da feira da música, que decorre de 08 a 13 de abril, na Cidade da Praia e extensão a São Vicente.

Kretxeu é aceite nos principais bares, restaurantes e esplanadas da capital com protocolos com A AME-CV 2017.

A mesma fonte realça que Cabo Verde é o primeiro país de África a introduzir uma moeda complementar/social, tendo já partilhado a sua experiência com Moçambique e Angola na introdução da moeda complementar.

Moedas complementares são moedas não-oficiais, utilizadas por grupos identificados, como um clube, ou por participantes de eventos, geralmente para troca de serviços ou produtos.

Essas moedas não valem como reserva de valor, mas apenas como meio de troca para se vender e comprar produtos ou serviços com um grupo ou em uma região delimitada.

Comentários