Artigo

“Abraço Poético” vai servir de trampolim para revelação de novos poetas, diz coordenador

A obra foi apresentada nesta terça-feira, 21, na cidade da Praia.

créditos: Inforpress

O coordenador do livro Abraço Poético, uma parceria entre escritores cabo-verdiano e galegos, João Furtado, disse ontem, 21, na cidade da Praia, que a obra vai servir de trampolim para a revelação de poetas cabo-verdianos.

Em declarações à imprensa à margem do lançamento do livro, que aconteceu por ocasião do no Dia Mundial da Poesia, João Furtado disse que   a obra contou com participações de escritores que ainda estão no anonimato, mas com “muita qualidade”.

“Nós que estamos neste projeto acreditamos que pode ser o trampolim e ter sido aceites pela Galiza (Norte de Espanha) demonstra que temos valor”, notou João Furtado.

Por parte da região espanhola da Galiza, disse que embora não estejam presentes seguem todos os trabalhos que a parte cabo-verdiana está a desenvolver.

“Não é uma ONG, é apenas um grupo de escritores que querem promover a Galiza e fazer o intercâmbio entre o português e o galego, que é muito parecido com a língua portuguesa”, esclareceu.

Esta parceria, segundo João Furtado, surgiu na Internet através de trocas de mensagens com alguns escritores, principalmente com o galego José Estévez Lopes, despontando daí a ideia de organizar essa antologia poética.

“Eu escrevo muito nas redes sociais e tenho vários trabalhos já publicados, mas o coordenador José Estévez López, que já tinha feito vários duetos com outros países, desta vez escolheu Cabo Verde para a próxima parceria”, precisou

Olivro representa as ilhas de Cabo Verde com poemas, mapa e imagens, sendo escrito em português, crioulo e galego e inclui poemas de 19 crianças do 6º ano da Escola e de São Pedro, mais 16 colaboradores adultos.

A obra não está à venda e, nesta primeira fase, vai ser distribuída apenas aos colaboradores.

Comentários