Artigo

Schwarzenegger: Sequela de "Gémeos" está perto de acontecer

A estrela revelou que a sequela de "Gémeos" com Danny DeVito e Eddie Murphy está muito mais perto de acontecer do que se pensava, ao contrário de outros projetos.

Arnold Schwarzenegger deu uma entrevista ao Yahoo Movies onde revelou algumas novidades sobre o que reserva o seu futuro.

Nos últimos anos, o que mais se comentava era que faria as sequelas de "Exterminador", "Predador", "Conan" e "Gémeos".

Com "Exterminador" já para trás e com resultados não muitos famosos, a grande novidade é que o projeto que parecia mais incerto, a continuação de "Gémeos" (1988), parece estar mais próximo de se tornar uma realidade do que se pensava.

"Os que falavam nisso eram o Danny DeVito e eu. O que é engraçado é que ninguém acreditava [no projeto]. O estúdio não acreditava. Ivan [Reitman, o realizador] não acreditava, ninguém acreditava. Depois, de repente, há dois anos, houve uma mudança de liderança no estúdio e começaram a acreditar. Depois o Ivan olhou para aquilo outra vez e começou a acreditar", explicou.

"O Danny e eu sempre andámos à volta da ideia de 'Trigémeos', e que Eddie Murphy devia ser o trigémeo porque é tão diferente de nós — tanto como o Danny era diferente de mim. (...) Portanto, o Danny e o Eddie Murphy e eu — acreditamos nisto a 100%. E depois o Ivan acreditou a 100%. Portanto, estão a escrever [o argumento] e agora todos estão entusiasmados com o projeto. Provavelmente vai estar concluído dentro de um ou dois meses e depois talvez possamos filmar no outono. É realmente emocionante", confirmou a estrela.

Em relação a "Conan", Schwarzenegger contou que já existem dois argumentos bons que apenas precisam de ser afinados e que a maior dificuldade é resolver algumas questões de direitos de autor em relação aos livros e ao próprio nome "Conan".

Sobre a possibilidade de entrar na nova versão de outro dos seus títulos icónicos, "Predador", atualmente em rodagem com realização de Shane Black, o austríaco deu a entender que não gostou da importância do seu papel na história.

"Pediram-me e li-o [o argumento] e não gostei — o que quer que tenham oferecido. Portanto não o vou fazer. Exceto se existir a hipótese de o reescreverem ou fazerem dele uma personagem mais relevante. Mas tal como está agora, não, não o farei", concluiu.

Comentários