Artigo

Sal: Organização do CVIFF quer mais engajamento de estudantes universitários na Sétima Arte

A abertura oficial do Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde está prevista para 10 de outubro.

photo of an old movie projector

créditos: Inforpress

A organização do Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde, realizado anualmente no mês de outubro, na ilha do Sal, quer engajamento de estudantes universitários na denominada Sétima Arte.

A produtora executiva Suely Neves, da V!Va Imagens, promotora do evento, disse em declarações à Inforpress que gostaria de poder contar com a participação de mais realizadores cabo-verdianos nesta 8ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde (CVIFF), que acontece durante quatro dias em Santa Maria, 10 a 14 de outubro próximo, mas não foi ainda desta vez.

Chegado à esta edição, e dando conta da lacuna, isto é, a exibição de filmes realizados ou produzidos por estudantes universitários cabo-verdianos, Suely Neves manifestou que com o intuito de despertar e engajar esta classe no mundo do cinema, este ano o CVIFF apresentou a categoria de estudante, onde apenas universitários de 3º e 4º anos em Cabo Verde, poderiam inscrever-se, mas candidatou-se apenas uma aluna.

“O objetivo de ter uma categoria de estudantes com foco nacional é para que possamos cultivar, inspirar e incentivar a próxima geração de cineastas no país a criar e exibir o seu trabalho em espaços públicos. Mas vamos trabalhar no sentido de alcançar esse desiderato”, exprimiu.

Segundo a mesma fonte, o festival conta com a participação de um realizador descendente de cabo-verdiano, vindo de Los Angles, também uma realizadora cabo-verdiana, residente na Alemanha, desejando que estas presenças permitam criar sinergias, com vista a motivar e envolver mais cabo-verdianos, estudantes universitários, especialmente, na arte cinematográfica.

Dos 25 filmes inscritos, 15 foram selecionados, de entre os quais apenas um é produzido em Cabo Verde, uma longa-metragem do realizador Neu Lopes, intitulada MOR (My Love), com uma duração de 48:10.

As outras películas selecionadas vêm de 9 países, nomeadamente Cabo Verde, França, Holanda, Estados Unidos, Rússia, Letônia, Austrália, Brasil e Suíça.

Dois filmes concorrem para a categoria de longa-metragem, 5 para longa-metragem documentário, 8 para a categoria de curta-metragem, e o “Prémio Parda”, destinado para o melhor filme desta edição.

A abertura oficial do Festival Internacional de Cinema de Cabo Verde, que propõe um naipe “excecional” de filmes, está prevista para 10 de outubro, uma terça-feira, decorrendo até sábado, dia 14.

Suely Neves, espera contar com uma boa participação do público para engrandecer a votação do melhor trabalho.

Comentários