Artigo

Erro histórico nos Óscares: Academia aperta as regras

A empresa PricewaterhouseCoopers continuará a trabalhar com a Academia, mas vão ser implementados novos procedimentos para evitar a troca de envelopes e a demora na reação ao erro que se seguiu durante a última cerimónia.

Apesar da sua responsabilidade no maior erro da história dos Óscares, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas continuará a trabalhar com a empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers (PwC), mantendo uma relação que existe há 83 anos, mas vai reforçar os procedimentos.

A PwC assumiu a responsabilidade pelo anúncio equivocado na cerimónia de 26 de fevereiro, e culpou dois membros da sua equipa pelo enorme erro.

Perto do final, Brian Cullinan, um dos sócios da empresa, entregou a Warren Beatty o envelope errado para o anúncio do prémio mais esperado do ano: o de melhor filme.

Foi a sua colega em palco, Faye Dunaway, que anunciou como vencedor "La La Land: Melodia de Amor" e passaram mais de dois minutos até que o erro fosse corrigido e os produtores do filme premiado, "Moonlight", fossem chamados ao palco.

"Depois de uma cuidadosa verificação, que incluiu uma extensa apresentação dos protocolos ajustados e ambiciosos controlos, o Conselho decidiu continuar a trabalhar com a PwC", escreveu na quarta-feira ao fim da tarde Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia, numa mensagem enviada aos membros da instituição e que a agência AFP teve acesso.

Acrescentou que a Academia foi "implacável na nossa avaliação pois o erro cometido pelos representantes [da PwC] é inaceitável".

Os dois consultores responsáveis pelo erro foram declarados no início de março "persona non grata" nos Óscares.

Entre as decisões para evitar a repetição do fiasco está a de que Rick Rosas, sócio da PwC, "voltará à equipa que trabalha com a Academia como um dos responsáveis pela contabilização dos votos e dos envelopes" nos Óscares, "uma tarefa que realizou impecavelmente durante mais de doze anos".

Tim Ryan, 'chairman' da PwC, também concordou em acompanhar mais de perto os procedimentos, mas a maior alteração de procedimentos foi a de uma terceira pessoa irá conhecer todos os premiados: esse novo elemento da PwC ficará no centro operacional da cerimónia, ao lado do realizador, para avisar em caso de surgir novo imprevisto.

Os outros dois continuarão colocados do lado esquerdo e direito do palco para dar os envelopes aos apresentadores, mas farão ensaios para saberem como reagir a possíveis problemas.

Serão ainda feitas "melhorias na verificação dos envelopes em palco" e uma "avaliação contínua dos protocolos e procedimentos a seguir nos bastidores".

Finalmente, serão "eliminados os aparelhos electrónicos nos bastidores", uma decisão que certamente teve em conta o facto de Brian Cullinan ter publicado na sua conta de Twitter uma fotografia de Emma Stone nos bastidores mesmo antes de Faye Dunaway anunciar o vencedor errado.

Comentários