Artigo

"Moonlight" e "La La Land": Realizadores juntos em entrevista depois da bronca nos Óscares

Barry Jenkins e Damien Chazelle revelaram o que pensaram sobre a épica confusão à volta do anúncio do Óscar de Melhor Filme.

Os realizadores de "Moonlight" e "La La Land: Melodia de Amor" juntaram-se para um café na manhã a seguir à histórica cerimónia dos Óscares.

Barry Jenkins e Damien Chazelle partilharam com a revista Variety o que pensaram sobre a épica confusão à volta do anúncio do Óscar de Melhor Filme.

"É confuso, mas de certa forma é espantoso", admitiu Jenkins, realizador do Óscar de Melhor Filme, ainda espantado com o inesperado desfecho após Warren Beatty e Faye Dunaway anunciarem primeiro que o vencedor era "La La Land".

"Estavam dois grupos que se juntaram por um segundo", continuou. "Existe uma fotografia comigo a abraçar Jordan [Horowitz, o produtor de "La La Land" que anunciou ao mundo a troca] e Adele [Romanski, produtora de "Moonlight"] com o seu braço no ombro dele. É isso que foi o momento", continuou Jenkins.

Já Chazelle, que tinha alguns minutos antes tinha recebido o Óscar de Melhor Realização pelo musical, no início achou que era uma piada.

"Toda a gente parecia tão cheia de energia, comecei por pensar que estava a acontecer alguma espécie de partida", admitiu.

Jenkins tem 37 anos e fez o primeiro filme, "Medicine for Melancholy", em 2008. Chazelle tem 32 e a estreia foi com "Guy and Madeline on a Park Bench", em 2009.

Também os seus últimos filmes tiveram percursos muito semelhantes: demoraram anos até serem feitos e depois passaram no festival de Telluride, de onde saíram para uma temporada de prémios de quase seis meses que criou uma relação que se foi fortalecendo.

"Quando estava ali sentado e não se realizou o sonho de ganhar, tirei-o da cabeça. E depois tive de regressar rapidamente a esse momento. E o meu primeiro pensamento foi chegar ao palco para dar um abraço o mas depressa possível ao Jordan", contou Jenkins.

Apesar do momento infeliz, os dois realizadores concordam que não são os prémios da Academia que definem quem são ou o sem trabalho."Tantos dos cineastas que inspiraram tanto o Barry como eu nunca ganharam um Óscar ou foram nomeados", refletiu Chazelle. "Temos de ter isso na cabeça. Isto só é muito importante até certo ponto".

Veja o vídeo dos bastidores do encontro.

Comentários