Artigo

Hollywood quer relançar "G.I. Joe" para conquistar adolescentes

Depois de dois filmes, a saga vai ser reinventada para os espectadores do novo milénio.

Apesar dos sucessos comerciais de "G.I. Joe - O Ataque dos Cobra" (2009) e "G.I. Joe: Retaliação" (2013), a verdade é que Hollywood nunca conseguiu com os famosos "action figures" ter o mesmo impacto de outra saga, "Transformers".

Ambas juntam o estúdio Paramount e a empresa de brinquedos Hasbro, e os responsáveis da segunda, Simon Waters e Steve Davis, anunciaram que abandonaram os planos para fazer "G.I. Joe 3".

Para Channing Tatum, que admitiu que fez o primeiro filme por causa de um acordo anterior com o estúdio e o detestou, a notícia é indiferente pois a sua personagem concluiu a missão no início da sequela, mas o o ator que o substituiu, Dwayne Johnson, provavelmente fica sem outra saga para encaixar na ocupada agenda.

A opção será um relançamento da saga 'com um olhar renovado com a intenção de cativar os espectadores mais jovens', no que Waters descreveu como uma 'abordagem mais geração do milénio'.

'O mundo mudou e penso que vamos ver o G.I. Joe também a mudar com ele. Vai existir uma abordagem muito mais contemporânea a toda saga e isso vai permitir-nos desenvolver personagens diferentes", acrescentou este responsável da Hasbro ao LA Times.

'Esperamos criar algo drástico. É um diferente tipo de 'Joe' — um que ainda apele aos fãs mas que traga uma audiência nova e a expanda a nível doméstico e internacional', esclareceu Steve Davis.

O novo projeto ainda não tem previsão de estreia pois está na fase da escrita e se tudo correr como planeado, a intenção é depois cruzar "G.I. Joe" com outros universos da Hasbro.

Comentários