Artigo

"Ghost in the Shell": Japoneses estão a gostar mais do filme e de Scarlett Johansson

Os espectadores no Japão estão a reagir melhor à adaptação em imagem real da icónica anime criada no seu país, alvo de controvérsia no Ocidente por causa do 'casting' de Scarlett Johansson.

"Ghost in the Shell: Agente do Futuro" tem enfrentado críticas no Ocidente pela escolha de Scarlett Johansson como Major, uma personagem percepcionada como sendo de origem asiática.

Um dos países onde a reação negativa tem sido mais forte é os EUA, onde os 31,5 milhões que fez nas bilheteiras desde a estreia são considerados uma desilusão.

Alguns analistas acreditam que os prejuízos possam chegar aos 60 milhões, com as fontes a não conseguirem concordar se teve o orçamento foi de 110 ou 180 milhões.

Ainda assim, os espectadores do Japão receberam com muito mais entusiasmo a adaptação americana em imagem real da icónica anime.

O filme estreou no país na última sexta-feira e ficou em primeiro lugar, com receitas equivalentes a 3,2 milhões de dólares.

De acordo com o The Hollywood Reporter,  a média da classificação dos fãs no Yahoo! Japan Movies é de 3,5 estrelas. Concretamente, estão a dar três estrelas pela história e quatro pelo visual.

São ainda citadas as opiniões de dois espectadores do dia da estreia, que não dão importância à controvérsia racial.

"Ela estava muito bem. Adorei-a em 'Os Vingadores' e queria ver isto por causa dela", disse Tomoki Hirano sobre Scarlett Johansson, antes de acrescentar: "Se tivessem feito uma versão em imagem real provavelmente teriam escolhido uma qualquer cantora do 'Ídolos'".

Outro fã, chamado Yuki, que admitiu não conhecer a anime, também acha que a atriz americana foi provavelmente a melhor escolha.

"Ouvi dizer que pessoas nos EUA queriam uma atriz asiática. Seria bom se ela fosse asiática ou asiática-americana? Honestamente, seria pior: alguém de outro país asiático a passar por japonesa. É melhor fazer a personagem branca", admitiu.

Um e outro ficaram menos impressionados com a história.

"Onde reside a alma? Esse era o tema de origem da história original. Isso influenciou filmes como 'Matrix', mas não foi abordado neste filme', notou Hirano.

"Tinha um aspeto espantoso. Acho que são os melhores visuais que podiam ter feito num filme em imagem real. No entanto, a história era um bocado superficial;não foi com profundidade aos temas do anime. Mas isso era de esperar, é a versão de Hollywood", sentenciou Yuki.

Comentários