Artigo

Bilheteiras americanas vão de mal a pior e batem recorde negativo com 18 anos

Pela primeira vez desde 1999, as salas de cinema nos Estados Unidos não chegam aos 100 milhões de dólares.

Pela primeira vez desde 1999, as salas de cinema nos Estados Unidos não chegam aos 100 milhões de dólares.

Pelo terceiro fim de semana consecutivo, um acontecimento cada vez mais raro, o mesmo filme ficou em primeiro lugar nas bilheteiras dos EUA e bateu-se mais um  recorde... negativo.

"O Guarda-Costas e o Assassino" foi o título mais visto, mas por uma razão: não havia novos lançamentos e os filmes disponíveis já não despertam grande interesse.

Este fim de semana foi mesmo o pior a seguir ao feriado do "Labour Day" desde 1999, com os 10 filmes do top a não conseguirem chegar aos 100 milhões de dólares, quando há um ano ainda atingiram os 128,3 milhões.

De facto, as bilheteiras nos EUA estão em tão má forma que o filme com a dupla Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson conseguiu mesmo uma proeza: rendeu 10,3 milhões de dólares, exatamente o mesmo do fim de semana anterior. No total está com 54,9 milhões e a caminho de dar lucro do estúdio.

Em segundo lugar ficou "Annabelle 2: A Criação do Mal" e  no total já rendeu 89 milhões, confirmando a rentabilidade da saga de terror.

Em terceiro ficou "Wind River", com Rooney Mara e Jeremy Renner, um pequeno filme (11 milhões de orçamento) com ambições de ganhar prémios e que já chegou aos 18,3 milhões nos EUA.

O fim do verão está a revelar-se penoso, com as receitas a caírem 5,7% em relação a 2016 e a não atingirem os quatro mil milhões pela primeira vez desde 2006.

Os analistas acreditam ainda que o número de espectadores este ano será o mais baixo desde 1992.

Comentários