Artigo

"Avatar 2" novamente adiado: Regresso a Pandora não será em 2018

O primeiro filme de James Cameron é de 2009 e a estreia da sequela volta a ser adiada pela terceira vez.

Foi de forma bastante casual que James Cameron disse durante uma entrevista ao The Star que "Avatar 2" já não chega às salas de cinema em dezembro do próximo ano. E não se compromete com novo prazo.

"Bem, 2018 já não vai acontecer. Ainda não anunciámos uma data sólida de estreia. O que as pessoas precisam compreender é que existe uma cadência de estreias. Portanto, não estamos a fazer 'Avatar 2'. Estamos a fazer 'Avatar' 2, 3, 4 e 5. É uma tarefa épica. Não é muito diferente de construir a Barragem das Três Gargantas [a maior central hidroelétrica do mundo, no Rio Yangtzé, o maior da China, com a segunda maior barragem e represa do mundo] [risos]", justificou o cineasta, agora com 62 anos.

Depois de chegar à conclusão que precisava não de três mas quatro filmes para abordar todas as ramificações do mundo de Pandora, o cineasta já tinha adiado a primeira sequela de dezembro de 2016 para o final de 2017 antes de fazer outra alteração para a data que agora caiu.

"Sei onde vou estar nos próximos oito anos da minha vida. Se pensarmos nisso, não é um período de tempo irrealista. Levou-nos quatro anos e meio para fazer um filme e agora estamos a fazer quatro", acrescentou.

Cameron confirmou é que os projetos estão prestes a ocupá-lo "24 horas por dia, sete dias por semana".

Anteriormente, já tinha anunciado que os argumentos das quatro sequelas estavam terminados e a sua rodagem em simultâneo começava a 15 de agosto.

O regresso de Sam Worthington, Zoe Saldana, Stephen Lang e Sigourney Weaver está assegurado e "Avatar 2" continuará a história de Jake, Neytiri e dos seus filhos e tira inspiração do espectáculo Toruk que Cameron ajudou a criar para o Cirque de Soleil, que decorre antes da chegada dos humanos ao planeta dos Na’vi.

Na melhor das hipóteses, "Avatar 2" chega em 2019, dez anos após o primeiro filme, que permanece o maior sucesso de bilheteira de sempre. mas Cameron não se compromete com novos prazos, garantindo apenas que "vamos descer essa cortina quando for a altura certa".

Comentários