Artigo

A Emma podia ter sido outra: Emma Watson explica razões para recusar "La La Land"

O papel de Emma Stone em "La La Land: Melodia de Amor" podia ter sido de Emma Watson, mas "A Bela e o Monstro" meteu-se pelo meio.

Quando Emma Stone começou a ganhar vários prémios por "La La Land", surgiram notícias de que a primeira escolha para o papel tinha sido Emma Watson.

Noutra versão do projeto, a Hermione Granger da saga Harry Potter podia ter feito não com Ryan Gosling, mas com Miles Teller.

A atriz teria exigido que os ensaios fossem em Londres, o que até foi aceite, mas acabou por recusar à mesma.

Já os agentes de Miles Teller teriam exigido seis milhões de dólares e os produtores só estavam dispostos a ir até aos quatro.

Com o sucesso do musical, surgiram notícias de que os dois atores estavam descontentes com os agentes, mas agora Emma Watson decidiu esclarecer o que realmente aconteceu durante uma entrevista sobre "A Bela e o Monstro".

"É úma daquelas coisas frustrantes em que vários nomes são associados muito cedo a projetos como uma forma de construir expectativa ou entusiasmo por algo que está para vir ainda antes de qualquer coisa estar realmente acertada ou definida definitivamente", explicou ao programa SiriusXM Town Hall.

No fim, foram as exigências especiais para o papel de Belle no novo filme da Disney que implicaram que investisse mais tempo do que o normal na preparação, forçando-a a recusar o papel no musical que acabou por valer o Óscar a Emma Stone.

"Sabia que tinha de treinar montar a cavalo, sabia que tinha dança, sabia que tinha três meses de canto à minha frente e sabia que tinha de estar em Londres para realmente fazer isso. E este não era o tipo de filme em que eu poderia simplesmente cair de pára-quedas", continuou.

"Sabia que tinha de fazer o trabalho e que tinha de estar onde tinha de estar. Portanto, em termos de conflito de agenda, simplesmente não funcionou", concluiu.

Comentários